Dia 18(SEGUNDA) – Presenças Marcantes

Na parte da manhã, fomos na tenda 5, onde teria o discurso de grandes presenças como a atriz Letícia Sabatella, a ex Ministra do Meio Ambiente Marina Silva, Cristovão Buarque, Severn Suzuki e o deputado do Chile.

Primeiramente, Letícia Sabatella iniciou sua fala, comentando a importância da Rio+20 e do meio ambiente para o planeta. Em seguida, Severn Suzuki, a garota canadense que emocionou e chocou muitos na Eco 92, fez um discurso firme sobre a economia verde, os retrocessos e avanços que houve desde a Eco92 e principalmente sobre a “Carta da Terra”

“Esse documento tornou-se um código de ética e valores para o mundo”, declara ela.

“Durante esses 20 anos que eu participei desses eventos internacionais, percebi que essa questão de sustentabilidade vem ganhando importância e espaço nas agendas internacionais. No entanto, enquanto muito de nós estamos trabalhando no mundo inteiro pelo meio ambiente, a igualdade social, percebi que o nosso governo tem trabalhado na contramão do nosso plano, do que propusemos. Na Rio +10, a chamaram de Rio – 10, no sentido de um retrocesso. E foi aí que eu percebi que esses políticos não iam mudar o futuro para nós. Eu percebi que somos nós que queremos essas mudanças e somos nós os responsáveis por elas” – Afirma a canadense.

Veja o video da garota que conquistou o mundo, no link abaixo:

Severn Suzuki, aos12 anos, na Eco 92

Faixa criticando o código florestal, Dilma e ruralistas

Em seguida, Marina Silva seguiu com a discussão.

“Todos dizem que não se deve ter muitas espectativas da Rio+20. Os países estão passando por uma crise econômica, social… ‘Então, nós devemos crescer, desenvolver e depois proteger e depois proteger’. Mas não, isso não é solução que o Brasil e o mundo precisam. A solução é que não podemos adiar o futuro.
O discurso de desenvolvimento diferenciado, ou seja, países emergentes devem desenvolver primeiro e depois se preocupar com o meio ambiente não pode virar sinônimo de irresponsabilidade. O Brasil pode servir muito bem de exemplo”

E ainda acrescentou:

“A todos que não acreditam em mudança, deve se lembrar que muitas transformações não vem opções, mas sim escolhas. Opção é quando se decide entre um ou outro. Mas escolha é algo mais amplo. É possível escolher algo novo, jamais criado, por exemplo. Foram através de escolhas que muitos líderes fizeram as mudanças. Se Mandela não tivesse escolhido, o “não Aparthaid”, a África do Sul estaria com a segregação legalizada até hoje. Se Luther King não tivesse acreditado no direito dos negros, a divisão por raça nos EUA, poderia estar presente até hoje. Se Gandhi não tivesse apostado na sua revolução por desobediência, como seria a Índia?”

Após o discurso de Marina Silva, outros se sucederam.

À tarde, teve a passeata marcha a ré, com o seguinte slogan: “Dilma, com que cara você chega?”. A saída estava marcada às 14:00,mas saiu com atraso do MAM (Museu de Arte Moderna), localizado próximo a sede da Cúpula dos Povos.

Para finalizar, seguem algumas fotos:

Letícia Sabatella em discurso

Pessoas se manifestando na “Marcha a ré da Rio+20: Dilma com que cara você chega”

Mulher segurando cartaz contra o Novo Código Florestal

Mulher com cartaz contra o código ruralista

População com cartazes de reivindicações – Centro do Rio

Faixa criticando o Novo Código Florestal, a Dilma e os ruralistas

Pessoas deitaram no chão simbolizando o desmatamento da floresta

Abraços, Gabriela Rosa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s